UNITA - ANGOLA
Fonte :
Angop
Ministro quer reforço da mobilização para o registo eleitoral Oficioso
MAT foto (1) 21-09-2021 Marcy Lopes.jpg
Segundo Angop na sua edição desta terça-feira,21 de Setembro de 2021, o ministro da Administração do Território, Marcy Lopes, apelou, em Luanda, aos partidos políticos e membros da sociedade civil a reforçarem a mobilização dos cidadãos para o registo eleitoral oficioso, que inicia quinta-feira no país.

De acordo com o ministro da Administração do Território, Marcy Lopes, que intervinha num encontro com os jornalistas, fazedores de opinião e internautas, exortou os partidos políticos a evitarem o discurso da fraude, justificando que actos do gênero maculam o processo, afastando os cidadãos do registo eleitoral e das urnas.

“Nas eleições realizadas em 2017, por exemplo, os níveis de abstenção terão atingido os 30 % devido a estas práticas”, salientou.

Na ocasião, assegurou a transparência do registo eleitoral oficioso, indicando que o boletim de voto é “muito difícil de falsificar”, por contar com oito elementos de segurança, enquanto um cheque bancário possui apenas cinco, descartando a possibilidade de fraude eleitoral generalizada.

Lembrou que, no país, a actualização dos dados eleitorais será feita mediante a apresentação do Bilhete de Identidade (BI) nos Balcões Únicos de Atendimento ao Público (BUAP) e no estrangeiro nas missões diplomáticas e consulares.

“Garantimos o compromisso do Executivo de reforçar o programa de massificação do Bilhete de Identidade no país e na diáspora o número de postos passará de 12 para 18”, referiu.

Informou que o cartão eleitoral só será emitido em zonas onde não exista serviço de emissão do Bilhete de Identidade, com vista a abolição do referido documento até 2027.

Por seu turno, o director nacional do Registo Eleitoral Oficioso, Fernando Paixão, esclareceu que no país o registo vai decorrer em 596 Balções Únicos de Atendimento ao Público, indicados pelas administrações municipais, comunais e distritais, envolvendo 1.788 funcionários.

Disse que estarão no estrangeiro cerca de 400 mil angolanos, espalhados maioritariamente pelos continentes africano e europeu.

Durante o encontro, jornalistas e fazedores de opinião questionaram o Ministério da Administração do Território (MAT) sobre a utilidade da fiscalização do registo, a capacidade de se atribuir o bilhete de identidade a todos os cidadãos maiores e a possibilidade de filhos de estrangeiros nascidos no país participarem nas eleições no país.

Foi ainda sugerida a melhoria da comunicação com os munícipes, envolvendo as comissões de moradores e as autoridades tradicionais e eclesiásticas.

Com a realização destes encontros, o Executivo pretende demonstrar a transparência, a credibilidade e garantir o envolvimento de todos os cidadãos e agentes eleitorais no processo de registo eleitoral oficioso.

No país, o registo eleitoral oficioso de cidadãos maiores deve iniciar no dia 23 do mês em curso e estender-se até Março de 2022, enquanto a actualização presencial para fins de registo no exterior está prevista para Janeiro de 2022.
www.unitaangola.org
C:\Mes Sites\Unitaangola29122013\UNITAANGO_WEB\coqUNITA.jpg
 Publicidade
Obra de Isaías Samakuva
Ex-Presidente da UNITA (2003-2019)
Todos os direitos reservados
Secretariado da comunicacão e Marketing da UNITA
União Nacional para Indepedência Total de Angola
©  Copyright 2002-2020
Sexta-feira, 24 de Setembro de 2021