UNITA - ANGOLA
Fonte :
KUP
Sócios entregam os supermercados KERO ao Estado Angolano
OS Três Socios do Hipermercado Kero (2) foto 13-10-2020.jpg
De acordo com à informação a que o Club-K teve acesso que em
representação dos outros sócios, o general Manuel Hélder Vieira Dias
“Kopelipa”, entregou nesta segunda-feira, 12 de Outubro de 2020, às
autoridades, a empresa Zahara Comercial, que de acordo com dados do
Despacho Presidencial 168/16 de 8 de Junho, tem a tutela da rede
de supermercado angolano “KERO”. Depois de formalizada a entrega, a
Procuradoria-Geral da República (PGR) determinou que o fiel depositário
passa a ser o Ministério da Indústria e Comércio de Angola.

O Grupo Zahara (na qual integra a Zahara Comercial), é detido pelo grupo
Aquattro Internacional pertencente a Manuel Domingos Vicente, Hélder
Vieira Dias “Kopelipa”, Leopoldino do Nascimento; e ao coronel João
Manuel Inglês, antigo assistente de “Kopelipa”.

Segundo apurou o Club-K, a entrega deste grupo empresarial foi uma
antecipação encorajada por “Kopelipa”, junto de outros sócios de que
deveriam faze-lo no seguimento no programa de combate a corrupção
que tem levado ao Estado confiscar todos os empreendimentos
constituídos com fundos públicos. Inicialmente, os outros sócios terão
divergido com a posição de “Kopelipa”, encorajados pelo argumento de
que esta rede de supermercado foi erguida com um empréstimo cedido
pelo Banco Atlântico, e não necessariamente com fundos públicos. A parte
do Estado, segundo entendimento dos sócios terão sido os incentivos
fiscais.

Informa, ainda que a rede de supermercado KERO é considerada em
meios empresariais como a que mais beneficiou de privilégios ou
incentivos fiscais por parte do antigo executivo de José Eduardo dos
Santos.

Avança que já em 2013, havia rumores de que o KERO, “não pagava os
direitos alfandegários, nem impostos ao estado”. A lei angolana determina
que nenhuma empresa pode beneficiar de impostos alfandegários mesmo
que sejam importações para o sector de defesa e militar, a não ser
material bélico.

Por outro revela que na verdade, o KERO beneficia de isenção no imposto
industrial que obriga as sociedades comerciais a pagarem 30% dos seus
lucros ao Estado angolano. Para actividades de explorações agrícolas,
aquícolas, avícolas, pecuárias, piscatórias e silvícolas a taxa é de 15%.

No ano de 2016, o então PR José Eduardo dos Santos aprovou seis
decretos a favor de empresas do grupo Zahara, como incentivos fiscais e
aduaneiros. A medida de JES foi na altura justificada como benefícios
aduaneiros, nos termos da lei do investimento privado.

Fonte: KUP
www.unitaangola.org
C:\Mes Sites\Unitaangola29122013\UNITAANGO_WEB\coqUNITA.jpg
 Publicidade
Obra de Isaías Samakuva
Ex-Presidente da UNITA (2003-2019)
Todos os direitos reservados
Secretariado da comunicacão e Marketing da UNITA
União Nacional para Indepedência Total de Angola
©  Copyright 2002-2020
Quarta-feira, 21 de Outubro de 2020