UNITAANGOLA
Fonte : KUP
Representantes do Estado apelam para o Empreendedorismo
UAN-Realiza-Workshop-sobre-Empreendedorismo-Social (1).jpg
No âmbito do Programa de Desenvolvimento Académico e Inovação (UDI – África) da Universidade Agostinho Neto, em Parceria com a Universidade Nova de Lisboa, decorreu durante o mês de Julho, no Campus Universitário, em Luanda, um curso de empreendedorismo para docentes, estudantes, pessoal administrativo.

O Projecto realizado na sua primeira edição encerrou esta sexta-feira, 26 de Julho do corrente ano, igualmente no Campus Universitário, com a realização de um Fórum sobre “Empreendedorismo social”, com participação dos Estudantes das diferentes unidades orgânicas da UAN, Docentes Universitários, Jornalistas, Convidados e Representantes do Governo de entre eles, do INAPEM e INAFOP.

O encontro teve dois painéis. O primeiro abordou sobre “Empreendedorismo social”, em que foi desenvolvido quatro temas versadas para o empreendedorismo. No segundo painel debruçou-se sobre as “Instituições de apoio ao empreendedorismo”, e contou com dois temas”.

A Administradora do INAPEM, Isabel Cipriano, que dissertou no segundo painel, que abordou “O Papel do INAPEM no fomento das MPME”, apresentou a situação da economia nacional, tendo pontado para um quadro preocupante da população activa no país, que recai com maior proporção à faixa-etária juvenil, com idade entre os 15 e os 24 anos de idade.

“Olhando um bocadinho para o desemprego nós vimos que, pelo menos 3 milhões setecentos e qualquer coisa, ou seja 28.8% é a nossa taxa de desemprego, e figurando isto em vários sectores, trata-se de um sério problema. Em cada 100 angolanos economicamente activos, pelo menos 28 à 29 angolanos estão desempregados do que isso, é que o desemprego é mais acentuado nas mulheres, 30.9%, e 26.6% nos homens. Esse desemprego é mais acentuado nos centros urbanos, que é onde nos encontramos, na ordem 36.5%, e menos nas zonas rurais, que é na ordem dos 16.10%. Mas mais grave ainda, é que o desemprego afecta sobretudo os jovens, na ordem de 52.4%, e estamos a falar dos jovens com idade entre os 15 e os 24 anos de idade”.

A responsável defendeu que a solução da presente situação da falta de emprego está em cada angolano.

“Mas a mensagem que nós trazemos para vocês, é que a solução está de facto em cada um de vocês, que temos de ser cada um de nós a resolver o problema”, indicando para o empreendedorismo como a única via que os angolanos têm para pôr cobro a falta de emprego.

“Se nós não assumirmos a responsabilidade para com a mudança, para com a necessidade de empreender e contar com o apoio de todas aquelas instituições do Estado, se não estão para que nas vestes de agentes económicos façam de facto essa mudança, essa transformação, estão ali nós para prestar o apoio, para assegurar que hajam condições para que esse empreendedorismo de facto aconteça, e aconteça gerando emprego, gerando empreendimento”.

A Directora-geral Adjunta do INAFOP, Felizarda Sacramento Neto, que apresentou o último tema do segundo painel, apontou a aposta na competitividade, empreendedorismo, formação profissional, e inovação para que se estabeleça um empreendedorismo sustentável, e mencionou as várias formações que a sua instituição em colaboração com organizações indicadas, tem promovido para a população interessada.

“Competitividade, nós temos que ter sempre este factor essencial , porque que tudo o que fazemos aqui reflecte-se no exterior do país, e vice-versa, para o exterior tem que se reflectir em Angola, e empreendedorismo, formação profissional, e inovação”.

www.unitaangola.org
C:\Mes Sites\Unitaangola29122013\UNITAANGO_WEB\coqUNITA.jpg
Opiniões
 Publicidade
Obra de Isaías Samakuva
Entrevistas
Facebook Youtube Twitter Contacto
Subscreva Newsletter
Todos os direitos reservados
Secretariado da comunicacão e Marketing da UNITA
União Nacional para Indepedência Total de Angola
©  Copyright 2002-2013
Segunda-feira, 19 de Agosto de 2019