Subscreva Newsletter
UNITAANGOLA
Estatutos
Data Ocasião Fonte
16/12/2020 Estatutos da UNITA, revistos e aprovados pelo XIII Congresso Ordinário
30/11/2017 Estatutos da UNITA, revistos e aprovados pelo XII Congresso Ordinário
20/07/2013 Adoptado durante o XI Congresso ordinario e anula o anteriore Unitaangola
13/09/2004 Adoptado durante o X Congresso ordinario e anula o anteriore Secretariado para a informação (UNITA)
Todas notícias
Opiniões
A ERCA não tem os meios necessários para funcionar - Félix Miranda
São legítimas as críticas que se sucedem evocando a inatividade ou inoperância da ERCA no que toca a Fiscalização do desempenho da Comunicação Social no seu todo e respectivas tomadas de posição.
********************
O diálogo - Chipindo Bonga
Cada vez mais sentimos o amargor da desgraça e de desânimo que enfrentamos todos os dias com os olhos da esperança fitos na bruma do horizonte, a espera do sol nascer para um dia diferente dos dias dos últimos 45 anos. O dia em que a verdade e a confiança se tornarão pressupostos do diálogo, e da convivência entre nós.
********************
Breve Testemunho, de um homem, que na terra do seu nascimento, se agigantou para momentos extraordinários - Kate Hama
Nem sei onde começar, para lhe desejar parabéns, neste aniversário póstumo, Mais Velho. Partilhamos momentos indeléveis e inerreplicáveis, mesmo assim, sinto-me sem palavras pela exuberante grandeza do vosso cometimento e feitos.
********************
Os Deputados e o drama da alteração da Lei Orgânica sobre as Eleições Gerais - Abílio Kamalata Numa
A Constituição da República de Angola consagra no Artigo 3º (Soberania) o direito de todos os cidadãos adultos (Artigo 24 – Maioridade – que é adquirida aos 18 anos) de exercerem o sufrágio universal (direito de votarem, conhecerem os eleitos e serem votados a nível local, regional e nacional) sem nenhuma restrição (sufrágio restrito) como etnia, escolaridade, condição social ou não conhecer o resultado do seu voto em relação aos seus representantes eleitos para os Órgãos de Soberania Local, Regional ou Nacional.
********************
Entrevistas
«Todo o mundo sabe que o MPLA tem estado a ganhar eleições à base de manipulações», Adriano Sapinãla
O combate político-partidário no País e o como a UNITA diversificaria a economia se chegasse ao poder despontam entre as questões afloradas pelo secretário provincial do «Galo Negro» em Benguela. Em entrevista ao Novo Jornal, Adriano Sapinãla acusa o partido no poder de «manipulações» de votos, critica o fraco investimento no campo e questiona por que razão o Presidente da República prometeu 500 mil empregos «se sabia que não o iria conseguir».
********************
“A saúde interna da UNITA é muito boa e recomenda-se”
O porta-voz da UNITA Marcial Dachala, avançou recentemente em entrevista concedida a estação da RFI que “ a saúde interna do partido é muito boa e recomenda-se”, denunciou-o “ as bocas de aluguer” que têm contestado a liderança do Partido. Acrescentou, que a explicação é simples: Adalberto Costa Júnior “ incomoda” o sistema.
********************
"A situação política actual do país inspira muitos cuidados" - General Lukamba Gato
O general Lukamba Paulo “Gato” foi, na qualidade de secretário-geral da UNITA, a figura mais alta na hierarquia do partido, em 2002, após a morte do vice-presidente, António Dembo, e do líder, Jonas Savimbi. Como coordenador da então Comissão de Gestão, dirigiu, pela UNITA, as negociações para a Paz no país. Dezanove anos depois, Gato considera que “o dia 4 de Abril de 2002 devia ter sido melhor aproveitado, para que o país marcasse uma verdadeira viragem, que definisse, sem equívocos, um período histórico antes e um depois”. Relativamente à reconciliação nacional, o agora deputado afirma que “Angola ainda tem uma longa caminhada a fazer”.
********************
 â€œA CASA-CE quase desapareceu do debate político”-Manuel Fernandes
Segundo publicou-o Club-K na sua edição desta Quarta-feira, 24 de Fevereiro de 2021, o deputado Manuel Fernandes entra para a história da CASA-CE como o terceiro presidente da coligação, depois de Abel Chivukuvuku e André Mendes de Carvalho. Em entrevista ao Jornal de Angola, o político enquadra a sua indicação, por quatro dos seis partidos da coligação, com a necessidade de mudança na liderança, para propiciar “novos métodos de trabalho e uma maior dinâmica na organização”.
********************
Facebook Youtube Twitter Contacto
Todos os direitos reservados
Secretariado da comunicacão e Marketing da UNITA
União Nacional para Indepedência Total de Angola
©  Copyright 2002-2013
Quinta-feira, 05 de Agosto de 2021